A enigmática série de David Lynch e Mark Frost lançada há 27 anos na TV americana ressurgiu seis meses atrás na Netflix com uma nova temporada. Mas afinal de contas, do que trata Twin Peaks? Vale à pena assistir? Se sim, por onde começar? São perguntas que buscarei responder sem lançar mão de spoilers.

O que é o universo Twin Peaks?

O universo Twin Peaks é composto por uma série dividida em três temporadas, por um filme que carrega o nome da série e vários livros que lhes acrescentam algumas informações esclarecedoras. A primeira temporada da série é composta por 8 episódios e foi lançada em 1990 na TV estadunidense. O sucesso que o mistério ao redor do assassinato de Laura Palmer, uma jovem numa cidade interiorana dos Estados Unidos chamada Twin Peaks, levou Lynch e companhia a uma segunda temporada, que contabilizaria 21 episódios e uma história que iria muito além do misterioso assassinato de Laura Palmer.

O seriado ainda renderia o filme Twin Peaks: fire walk with me (título adaptado para para o português como Twin Peaks: os últimos dias de Laura Palmer). Lançado em 1992, o filme não surtiu o efeito desejado, um reflexo do desgaste que o seriado começou a sofrer a partir da segunda temporada. Soma-se a isso o fato de que muitas pessoas assistiram ao filme sem o conhecimento prévio dos personagens e fatos que ocorrem nas duas primeiras temporadas, o que pode causar desinteresse e até mesmo um certo desconforto.

Mas eis que em 2017 (apenas dois anos a mais do que o previsto na própria série!), o seriado ressurge com 18 episódios do que seria a sua terceira temporada, também denominada de The Return. A terceira temporada veio recheada de nostalgia para os fãs da série, já que o seu elenco se mantém recheado de personagens interpretados pelos atores originais do início da série e do filme. Aqui, não nos deparamos com problemas similares aos que acompanharam lançamento do filme, uma vez que Twin Peaks já aparece como uma série aclamada pela crítica, chegando, inclusive, a ser ranqueada entre as melhores séries de 2017.

Os livros que complementam a série são voltados para os fãs que ficam com gostinho de quero mais após assistir à serie e ao filme e são parte importante, mas não essencial, para quem deseja apreciar toda a trama. A história secreta de Twin Peaks desvenda, como o próprio nome diz, parte da história secreta que ronda a série trazendo informações extras para quem busca, muito mais do que passar o tempo, compreender diversos aspectos da trama. O mesmo pode ser dito para Twin Peaks: The final dossier (ainda sem edição em português). Este último, porém, é voltado principalmente para esclarecer o que aconteceu com os personagens no intervalo de 25 anos que separam a segunda da terceira temporada. Há ainda outros livros que trazem alguns aspectos mais pontuais da série.

Por onde começar a assistir?

Essa é uma pergunta pertinente, uma vez que o Netflix disponibiliza no momento apenas a terceira temporada, dando margem para que o iniciante desinformado (eu fui um deles) se dirija diretamente para essa parte da trama. A estranheza com que os primeiros capítulos se apresentam pode fazer com que qualquer um desista imediatamente da série. É o que aconteceu, por exemplo, com parte do público que assistiu ao filme na época do seu lançamento sem conhecer as duas primeiras temporadas da série. Por isso, a terceira temporada não deve ser o ponto de partida, tampouco o filme.

Apesar da sequência cronológica dos fatos começar pelo filme, evite começar a história por aí por um motivo simples: o filme revela o assassino de Laura Palmer, o que tira boa parte do brilho por trás do suspense criado no desenrolar da primeira temporada. O mistério criado pro trás do assassinato de Laura Palmer, aliás, chegou a fazer o líder russo Gorbatchov ligar para o então presidente dos EUA George Bush (Bush pai) em busca da sua solução. O próprio presidente dos EUA se encarregou de buscar a resposta para o mistério em primeira mão para Gorbatchov. Boatos de que o segredo não foi revelado e o presidente russo teve que acompanhar como os milhões de telespectadores americanos o transcorrer da trama.

A sequência mais indicada para acompanhar Twin Peaks seria, portanto: a primeira temporada, o filme, a segunda e por fim a terceira temporada. Quanto aos livros, eu recomendaria que eles fossem lidos a qualquer momento após a segunda temporada.

Vale a pena assistir? O que encontrarei em Twin Peaks?

Em Twin Peaks, você encontrará uma série alternativa, que foge das convenções normais das séries mais populares. O assassinato de Laura Palmer é apenas o pretexto inicial para que Lynch adentrasse num universo singular, surreal, onírico. Os diversos acontecimentos que se sucedem na pequena cidade que dá nome à série, no universo paralelo criado por Lynch que permeia a série, e mais a adiante em outras cidades como Las Vegas, parecem muitas vezes desconectados, porém no final descobre-se que eles estão muito mais conectados do que se pode imaginar (e os livros sobre a série são importantíssimos nesse sentido) e que há uma ordem geral pautada na boa e velha disputa do bem contra o mal.

Um ponto interessante de Twin Peaks é que a trama dá margem para uma série de teorias que buscam explicar cada acontecimento aos olhos de Lynch e há de fato diversas hipóteses apontadas pelos fãs da série, o que resulta em discussões calorosas sobre o filme e cada episódio, que podem ser vistas em grupos dedicados à série em redes sociais como o facebook.

A trilha sonora, composta por Angelo Badalamenti, é uma atração à parte. A música de entrada que parece cafona a primeira vista, torna-se atraente e inconfundível com o passar do tempo. Na terceira temporada, a originalidade fica por conta de Lynch. Nos episódios de The Return, além de se utilizar do trabalho original de Badalamenti, Lynch convida diversas bandas para finalizar os capítulos com alguma de suas músicas autorais. O line-up inclui nomes como Chromatics, Au Revoir Simone, Nine Inch Nails, Eddie Vedder, dentre outros.

Por isso e muito mais, ao final de das três temporadas e do filme, você verá que Twin Peaks é muito mais do que uma série que busca o entretenimento, é um trabalho artístico de primeira linha criado e moldado pela mente brilhante de David Lynch.

EDITADO PORYuri Resende
COMPARTILHAR
Lucas Aquino
Nascido em Palmeira dos Índios-AL, guarda no coração as cidades de Maceió, Curitiba e Norwich, além de naturalmente a cidade em que nasceu. Bacharel e licenciado em Química pela Universidade Federal de Alagoas (2012) e Centro Universitário Claretiano (2013). Mestre em Química pela Universidade Federal do Paraná (2014). Atualmente, cursa o doutorado também em Química na mesma instituição, com passagem pela University of East Anglia. Tem interesses diversos que vão muito além da ciência.